Por Alexandre Pellaes: “Quem precisa de chefe?”

Para discutir o futuro do trabalho, é importante considerar sua origem e como ele mudou ao longo do tempo. É necessário ir além do discurso organizacional e estrutural das empresas. Acima de tudo, é essencial compreender qual é o papel do trabalho na vida de cada pessoa. O trabalho pode ser visto como forma de escravidão ou como forma de emancipação, dependendo de dois fatores principais:

1. As condições do ambiente no qual a atividade está inserida;

2. A interpretação singular de cada pessoa na realização das atividades (o significado do trabalho).

O primeiro item engloba duas entidades centrais dentro da relação ser humano-trabalho: as organizações e a liderança; e está relacionado à forma mais tradicional do trabalho institucionalizado: o emprego. Por isso, é o fator mais estudado e amplamente discutido do ponto de vista consultivo, o que resulta na febre atual de “reinventar a gestão”. No entanto, a gestão é um espaço de interação com o trabalho, que acontece fora do indivíduo e que inclui as condições de entorno. É importante, claro! Mas, qualquer mudança de gestão só poderá ser possível e efetiva, se vier acompanhada de uma nova compreensão sobre o significado do trabalho para cada um de nós.

O desenho do futuro do trabalho está nas pessoas! Por que você trabalha? Como o trabalho impacta a sua vida? Há quem jure que a palavra “trabalho” vem do latim “tripalium”, que significa “três paus” – sem duplo sentido, por favor. Tripalium era um instrumento utilizado na lavoura e que, posteriormente, teria sido adotado como objeto de tortura para prender escravos enquanto eram açoitados. Curiosamente, o termo “trabalhador” era atribuído ao carrasco e não o escravo. (Portanto, não se abrace tanto ao sofrimento, hein…)

O conceito do trabalho como forma de obrigação e sofrimento está tão enraizado nas nossas mentes, que até quem gosta do seu emprego e gosta de trabalhar faz piadas negativas sobre o tema.

Essa raiz para a origem da palavra trabalho indica que sua aplicação estaria ligada ao conceito da atividade que causa dor, principalmente dor física. Portanto, sobre essa ótica: trabalho = atividade que causa dor. Historicamente, o trabalho foi ganhando novos papéis na vida humana, a partir do redesenho das principais relações de comando: senhor-escravo, empregador-trabalhador, chefe-funcionário, acionista-gestor-executor. Infelizmente, a maioria dessas conexões foi marcada por abusos e exploração.

O conceito do trabalho como forma de obrigação e sofrimento está tão enraizado nas nossas mentes, que até quem gosta do seu emprego e gosta de trabalhar faz piadas negativas sobre o tema.

É importante compreendermos que estamos criando o futuro do trabalho. Ele não está pronto, nos esperando. Nos encontramos em um momento de transformação da relação que temos com o trabalho e com as organizações. Por isso, precisamos atualizar nosso modelo mental com relação à nossa capacidade produtiva. Nunca fomos provocados a pensar conscientemente sobre o trabalho. Normalmente, usamos as palavras Emprego e Trabalho como sinônimos, para indicar a atividade profissional regular. E aqui, misturamos totalmente os conceitos.

O que uma pessoa pensa sobre si se torna parte essencial de quem ela é.

Trabalho é a sua relação com o mundo, por meio da ação. É uma relação complexa, espontânea, natural e realmente produtiva. Pode ser remunerada ou não. É uma relação de “ser”, onde você se enxerga e se mostra para o mundo. Emprego é a sua relação com um empregador ou líder hierárquico. Uma entidade de quem você tem interesse de receber algo. É uma relação simplificada, previsível e que pode ser falsamente produtiva. É uma relação de “ter”, onde você atende necessidades e expectativas pré-acordadas.

O trabalho tem três impactos principais sobre as pessoas:

– Financeiro: focado na sobrevivência, conquista de benefícios e realização de sonhos concretos que podem ser comprados.

– Social: relacionado ao impacto que causamos sobre as pessoas, a cada ponto de contato que realizamos durante nossa ação produtiva, além do alcance social extrapolado pelo resultado do nosso trabalho, produtos e serviços.

– Psicológico: ligado ao papel do trabalho para cada pessoa, como formador da sua identidade e senso de utilidade.

O que uma pessoa pensa sobre si se torna parte essencial de quem ela é. A grande mudança do mundo do trabalho é exatamente a migração do conceito principal da ação de Emprego para Trabalho. Deixamos a relação principal de sobreviver e caminhamos para o atendimento de outra necessidade, ligada à expressão.  Nesse contexto, teremos mais autonomia e precisaremos responder com mais autodisciplina e iniciativa. O desafio é grande, pois estamos chegando de um modelo que nos estimulou a agir mais por obediência do que por intenção.

Autorrealização (a forma como você se enxerga na sua relação com o trabalho), foco (a forma como você entrega sua contribuição na relação com a organização) e empatia (a forma como você estabelece suas relações com os outros) serão elementos essenciais para o sucesso.

Alexandre Pellaes é pesquisador de comportamentos/tendências do mundo do trabalho e gestão. Mestre em Psicologia do Trabalho pela USP, é fundador da consultoria Exboss.

Quarta edição da Expomais é destaque na Revista Liderança Empresarial

Realizada nos dias 25 e 26 de setembro, a Expomais ganhou destaque na edição de novembro da Revista Liderança Empresarial, publicada pela Associação Empresarial de Criciúma (Acic).

O evento é detalhado em 14 páginas da publicação, que aborda as palestras âncoras e as diversas atividades paralelas promovidas nos dois dias de imersão.

Além disso, a publicação traz uma entrevista com o diretor de Inovação da Duratex, Daniel Franco, e um artigo escrito pelo pesquisador Alexandre Pellaes, ambos palestrantes no congresso.

A Revista Liderança Empresarial está disponível para leitura no site da entidade. A Acic é uma das cocriadoras da Expomais, ao lado de Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de CriciúmaEsucriInstituto Federal de Santa Catarina (IFSC) campus CriciúmaSatcSebraeSenacSenai e Unesc.

(Assessoria de Comunicação – Expomais 2019)

Cocriadoras confirmam data da próxima Expomais

Representantes das cocriadoras da Expomais – Associação Empresarial de Criciúma (Acic), Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de CriciúmaEsucriInstituto Federal de Santa Catarina (IFSC) campus CriciúmaSatcSebraeSenacSenai e Unesc – se reuniram nesta quarta-feira, 20, para avaliar a quarta edição do evento, realizada nos dias 25 e 26 de setembro. O encontro ocorreu na Acic e definiu também para setembro de 2020 a próxima edição do congresso.

A reunião foi marcada pela troca de ideias e sugestões para a próxima edição. “Já começamos a pensar no próximo ano. Vamos continuar defendendo o conceito de trazer conteúdo de gestão para o Sul de Santa Catarina”, afirma Timóteo Farias, curador de conteúdo da Expomais.

Além de elencar os pontos de melhoria para a quinta edição, os participantes avaliaram os aspectos positivos do evento neste ano. “A mudança de data foi um acerto, porque antecipando é melhor para as instituições de ensino. Gostei muito do evento deste ano, porque conseguimos trazer mais pessoas, e isso mostra que a Expomais começa a ‘enraizar’ dentro das instituições”, avalia o diretor geral do IFSC campus Criciúma, Lucas Dominguini.

“A cada ano as pessoas esperam algo a mais e isso é desafiador”, define o diretor do Senac Criciúma, Alexandre Meneguetti. “Da edição deste ano, destaco a organização e outro momento muito legal foi a participação dos alunos na abertura, uma palestra muito boa”, completa, referindo-se ao preview exclusivo para estudantes, conduzido pelo diretor técnico do Sebrae/SC, Luciano Pinheiro.

“Os alunos ficaram muito bem impressionados”, concorda a gerente executiva do Senai Criciúma, Graziela da Silva Branco. “Foi o primeiro ano que participei e também fiquei impressionada positivamente, porque foi acima do que esperava”, relata.

Evolução

Para o coordenador do Sebrae Regional Sul, Murilo Gelosa, a Expomais demonstra evolução a cada edição realizada. “Vejo que evoluiu bastante. Fiquei impressionado com a qualidade dos temas e dos palestrantes”, revela.

O diretor da Esucri, Everaldo Tiscoski, ressalta o formato do evento, mais enxuto, com as atividades ocorrendo à tarde e à noite. “As empresas abraçaram a Expomais, assim como a imprensa”, lembra. “O formato adotado este ano ficou mais leve. A quarta edição mostrou que houve a consolidação da Expomais”, reforça o diretor geral da Satc, Carlos Antônio Ferreira.

Este ano, o evento teve como apresentadores Nações Shopping e Sicredi e contou com diversos patrocinadores e apoiadores.

(Assessoria de Comunicação – Expomais 2019)

Interação e experiências reais marcam atividades paralelas da Expomais

Temas voltados à inovação e à transformação digital também nortearam painéis da Expomais, que ocorreu na Associação Empresarial de Criciúma (Acic), nos dias 25 e 26 de setembro, reunindo profissionais de mercado e especialistas para refletir com o público caminhos e experiências reais. 

No painel “Transformação Digital”, o doutor e mestre em Educação do Senac/RS, Augusto Niche, enfatizou a importância das pessoas no contexto da inovação. “Precisamos parar para pensar como as pessoas estão se relacionando no trabalho e as principais barreiras para a inovação. Temos que parar de discutir serviço e discutir humanidade. As pessoas estão sendo admitidas pelo currículo e demitidas pelo comportamento”, colocou.

Luciano Pinheiro, diretor técnico do Sebrae/SC, que palestrou no preview para os acadêmicos, no dia 24, também reforçou o olhar voltado para o fator humano. “No mundo da abundância, a única escassez é a de atenção humana. Temos que pensar como ajudar nossos clientes a encontrarem o que é melhor para eles”, provocou.  

“Para fazer a transformação digital, a primeira questão é envolver as pessoas, a segunda entender qual a estratégia, que problemas queremos resolver e o quanto essas tecnologias vão me apoiar para resolver esses problemas”, explanou Cristiano Borges Franco, consultor nas áreas de Gestão da Inovação, Criatividade, e Design de Futuros no IEL/RS.

Já a especialista do Sicredi, Camila, Luconi, indicou como gerar uma experiência física e mental boa nas pessoas, nos associados e organizá-los para a transformação digital.

Palestras

As atividades paralelas também incluíram palestras, com os temas “Alcançando alta performance com a Gestão Ágil de Metas com OKR”, proferida por Miguel Rivero, CEO Airbox.tech; e “Administração da Inovação, ministrada por João Alfredo Campos Junior, integrante do Conselho Regional de Administração (CRA/SC), proprietário da VIOS Tecnologia.

Comércio eletrônico

Entre os painéis, o e-commerce também norteou o debate. Em 2018, 58 milhões de brasileiros fizeram compras pela internet, sendo que esse comércio representou 5% das vendas feitas no Brasil. “No mercado de bicicletas é um pouco mais difícil, se torna mais complicado entender o cliente, mas com estratégia, conhecimento e tecnologia estamos crescendo”, comentou um dos participantes, Augusto Freitas, proprietário da Bike Point.

Outro participante, Diego de Mattia, sócio da Fóssil Digital, cita o Marketing Place, transporte de produtos, logística e formas de pagamento. “Se você quer entrar no mercado do e-commerce, você precisa entrar bem estruturado, para atender o cliente”, pontua. Também participaram do encontro Eduardo Zini, diretor da Vertical Saúde, e Alessandro Holthausen, vice-presidente de Associados e Serviços da ABCOMM/SC.

(Assessoria de Comunicação – Expomais 2019)

No Fast Dating da Expomais, a oportunidade de fechar negócios

Realizada na última semana, a quarta edição da Expomais trouxe muitas novidades, entre elas, a realização do Fast Dating. O momento oportunizou a startups convidadas apresentar suas soluções a representantes de empresas da região, que puderam interagir e tirar dúvidas. A apresentação foi aberta ao público geral.

“Trouxemos para esse ambiente as empresas que patrocinaram e estão sempre conosco nesse movimento e as colocamos de frente com a tecnologia da nossa região. O Fast Dating é um namoro rápido e saíram muitas ‘paqueras’”, revela o curador de conteúdo da Expomais, Timóteo Farias.

Ele lembra que existe na Região Carbonífera um movimento forte para incentivar soluções inovadoras. “Teremos o Centro de Inovação em Criciúma, e as instituições estão mobilizadas com isso. A base da inovação é a relação do ecossistema e cada um tem seu papel. Então, basicamente o que nós fizemos foi trazer a Acate (Associação Catarinense de Tecnologia), que é a referência em inovação, para falar de dados regionais”, explica.

“Dentro da apresentação do diretor da Acate, Walmoli Gerber Jr., mostrou que, com base nos dados colhidos no Estado, a nossa região é a que tem a melhor eficiência. Temos o maior faturamento e o menor número de colaboradores. Sabemos, por outro lado, que formamos profissionais muito bons e eles acabam indo para outros centros. É preciso refletir sobre esses dois indicadores”, aponta Farias.

Iniciativa elogiada

O CEO da Globalbot, uma solução de atendimento a clientes com inteligência artificial que combina chatbots (assistentes virtuais) com atendimento humano em diversos canais, Felipe Volpato, elogiou a iniciativa do Fast Dating.

“Foi bem bacana a interação, depois peguei alguns cartões, a experiência foi bem válida. E o legal é que o pessoal do auditório também pôde participar”, destaca Volpato.

“As grandes empresas estão querendo se aproximar das startups e para isso criam desafios, por exemplo. Sou frequentemente convidado para esses desafios, onde as empresas colocam suas ‘dores’ e buscam soluções”, acrescenta.

(Assessoria de Comunicação – Expomais 2019)

Executiva Carmela Borst faz visita à Casa Guido

A executiva Carmela Borst, uma das palestrantes da quarta edição da Expomais, visitou na manhã desta sexta-feira, 27, a Casa Guido, de Criciúma. A head de marketing para a América Latina na Infor doou parte do seu cachê do evento para a instituição que oferece apoio para crianças e adolescentes em tratamento de câncer e doenças graves do sangue.

Durante sua palestra na Expomais, na noite de quinta-feira, a executiva frisou a importância do engajamento em causas sociais, à medida em que desenvolvemos a carreira profissional.

“Todos nós temos uma causa. Algumas pessoas só não conheceram a sua ainda. Eu sou uma defensora de mulheres e crianças”, destaca Carmela, que ficou encantada com o trabalho desenvolvido pela Casa Guido, que atualmente atende 84 crianças e adolescentes.

Carmela esteve na Casa Guido acompanhada da diretora executiva da Acic, Maria Julita Volpato Gomes, e foi recebida pelo presidente da instituição, Antônio Roberto Ghedin, e pela coordenadora de captação de recursos, Viviane Hofman Garcia.

“Ficamos muito gratos com este gesto da Carmela. A Casa Guido se mantém pelo envolvimento da sociedade”, pontua Ghedin. A executiva trocou ideias e experiências com a direção da instituição e se colocou à disposição. “Participo do conselho de diversas ONGs voluntariamente e muitas ações que deram retorno podemos replicar aqui. Organizar visitas nessas entidades, sensibilizando as pessoas e a comunidade, empoderando essas causas, conseguimos o envolvimento e o cumprimento”, reforça.

(Assessoria de Comunicação – Expomais 2019)

Quarta edição da Expomais supera expectativa de público e conteúdo

Experiências únicas de conhecimento. Assim foi a quarta edição da Expomais, que encerrou na noite desta quinta-feira, 26, na sede da Associação Empresarial de Criciúma (Acic). O evento que aborda os eixos de Marketing, Administração, Inovação e Sinergia superou as expectativas tanto em número de participantes como em conteúdo apresentado. Cerca de mil pessoas passarem pelo evento durante os dois dias de imersão.

“A quarta edição da Expomais foi um sucesso. Superamos nossas expectativas tanto de público quanto de conteúdo. Conseguimos entregar aos participantes o que havíamos proposto. Ao conversar com o público, palestrantes e apoiadores, escutamos a satisfação de todos durante esses dois dias de imersão”, destaca o presidente da Acic, Moacir Dagostin.

Conforme Dagostin, o sucesso desta edição aumenta ainda mais a responsabilidade para o próximo ano. “Todo esse retorno positivo nos dá entusiasmo e aumenta nossa responsabilidade para prepararmos a edição de 2020 ainda mais surpreendente para o público do Sul catarinense. Agradecemos a todas as cocriadoras, patrocinadores, empresários e ao público presente”, acrescenta.

Para a empresária Thayni da Silva Librelato, a qualidade da Expomais demonstra que a região possui capacidade para realizar eventos no padrão de grandes metrópoles. “O nível da Expomais foi muito alto, fiquei encantada, e reforço que não precisamos sair da região para encontrarmos eventos com nível tão elevado. No próximo ano, quero trazer mais colaboradores da empresa para participar”, ressalta.

A profissional Lisdeise Nunes Felipe participa pela terceira vez, e salienta o crescimento do evento a cada edição. “A cada ano, a Expomais tem evoluído e se diversificado. Saio sempre com muito conhecimento do cenário atual do mercado, especialmente nas áreas abordadas pelo evento. São muitas ideias para levar à empresa e muitos horizontes que se abrem, após essa experiência”, conta. 

O gerente de Marketing do Nações Shopping, Júlio Cesar Geesdorf, um dos apresentadores do evento, também conta da experiência positiva no evento. “Público interessado, plateia lotada, conteúdo muito bom. Estamos super satisfeitos com a organização, qualidade e conteúdo do evento. Com certeza, estaremos presentes nas próximas edições”, anuncia.  

Desafios da curadoria

O curador de conteúdo da Expomais, Timóteo Farias, fala do desafio na escolha dos palestrantes e do êxito do congresso. “Um dos desafios foi justamente trazer profissionais/palestrantes do mercado que não eram conhecidos para o evento. Quando pensamos num evento de conteúdo relevante de gestão, entendemos que nos anos anteriores nos deram know how para trazer temáticas e abordagens para a região porque queremos que as pessoas olhem para fora, para o futuro, para as possibilidades”, explica.

“Sinto fechado o evento, desde a primeira palestra do Alexandre Pellaes, que as pessoas se reconhecem, percebem essa transformação do trabalho, da família, e que não é somente a tecnologia, mas, sim, as pessoas. Quando propomos o mote da Sociedade em Transformação, queríamos que as pessoas olhassem para o processo de aprendizagem, que é contínuo”, complementa.

Para a quinta edição, Farias já propõe novos desafios. “Para o próximo queremos desconstruir tudo que construímos e reaprender, mudar o formato e colocar as pessoas no centro disso e não somente os palestrantes. Como poderemos colocar todo o conhecimento de quem veio ao evento e como podemos cocriar todos juntos”, indaga.

Executiva Carmela Borst e o cofundador e colíder do Cidades+B, Tomás de Lara fecharam o evento na noite desta quinta-feira, 25

“Todos nós temos uma causa. Algumas pessoas só não conheceram a sua ainda. Eu sou uma defensora de mulheres e crianças e a pobreza é algo que me dói”, revelou a executiva Carmela Borst, ao abordar a importância do engajamento em causas sociais, à medida em que se desenvolve uma carreira profissional.

“Durante muito tempo, fui buscar informações do que acontecia lá fora e, como sou da área de tecnologia, acabei conhecendo o Tech For Good, um movimento muito forte, capaz de transformar a sociedade. Mesmo em um mundo corporativo, é possível se dedicar a uma causa. E é isso que vai formar o seu legado”, entende.

Para Carmela, ainda há um longo caminho a percorrer na igualdade de oportunidades para homens e mulheres no mercado de trabalho. “Para falarmos de números, hoje temos 400 mil vagas em tecnologia e quase não há mulheres nessa área. Se houvesse a equiparação salarial hoje, com as mulheres que já estão no mercado de trabalho, seriam R$ 480 bilhões na economia brasileira”, afirmou. A diversidade também pautou o painel realizado a seguir, no qual foi mediadora.

Empresas B

A preocupação das empresas em gerar um impacto social positivo também foi tema da palestra de Tomás de Lara, que fechou a quarta edição da Expomais. Cofundador e colíder do Cidades+B, cofundador do Colaboramerica, ele apresentou o movimento global de empresas B.

“Basicamente vem para mudar a lógica de que a empresa tem que gerar apenas lucro, e cria uma lógica de gerar valor integral, com boas práticas sociais e ambientais, junto com o valor financeiro”, declarou.

São cocriadores da Expomais 2019:  Acic, Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de CriciúmaEsucriInstituto Federal de Santa Catarina (IFSC) campus CriciúmaSatcSebraeSenacSenai e Unesc. Este ano, a Expomais recebe o reforço dos apresentadores – Nações Shopping e Sicredi – e conta com diversos apoiadores.

 A extensa programação ocorreu na quarta e quinta-feira com a realização de palestras, painéis, labs e apresentação de cases.

(Assessoria de Comunicação – Expomais 2019)

Interatividade e transformações tecnológicas pautam segunda tarde da Expomais

O segundo dia de Expomais começou com a participação ativa do público, convidado a interagir pelo palestrante Luís Artur Nogueira. Através de dispositivos distribuídos à plateia, o jornalista e economista estimulou os participantes a avaliar o governo Bolsonaro e demonstrar o grau de confiança na recuperação econômica do país, por exemplo.

No primeiro questionamento, sobre a projeção do crescimento econômico no atual governo, 59% apostou que crescerá 2%, um cenário otimista, que acompanha o sentimento de Nogueira. “Tendo em vista a agenda econômica muito boa, acredito que o Brasil vai crescer com mais força a partir do ano que vem, mas é claro que isso depende da ala política, que vai muito mal, desviando o foco da economia”, entende.

Além de acertar o passo entre o governo e o Congresso Nacional, o economista avalia que o corte de juros será primordial e, nisso, as instituições cooperativas de crédito, como o Sicredi, estão fazendo uma verdadeira revolução no mercado, na opinião dele. “Esse movimento que as cooperativas de crédito lideram vai obrigar os grandes bancos a reduzir a taxa de juros”, considera.

Nogueira lembra que fatores externos também podem influenciar na economia do país. E o segredo para diminuir esses impactos é não tomar partido em uma disputa entre outros países, mas tentar manter relações comerciais com todos os parceiros. “É preciso ir atrás de investimento externo. As crises não são novidade para os brasileiros, mas como explicar os movimentos políticos do Brasil aos estrangeiros?”, questiona.

Importância do setor privado

Em sua fala, além de reforçar que o crescimento da economia brasileira vai depender de uma sintonia melhor entre os agentes políticos, Nogueira ressaltou a importância do setor privado nesse processo. “É preciso trabalhar para cada vez menos o Estado interferir na economia. Na crise, o empresário brasileiro foi buscar soluções e está preparado para o novo ciclo de crescimento”, acredita.

Ele também apontou as inúmeras oportunidades de negócios oferecidas pelo país. “O Brasil tem diferenciais como o agronegócio, que sempre salvou o país em momentos econômicos difíceis. O setor de construção também pode crescer muito e obras movimentam a economia. E ainda temos um amplo espaço para a cultura do empreendedorismo”, cita.

Habilidade de se adaptar à nova realidade

Falando logo a seguir, Mário Neves ressaltou as mudanças experimentadas por setores da economia, com as inovações tecnológicas. “Já temos entregas por drones, lojas sem atendentes, carros autônomos (sem motorista), comandos de voz e muitas outras novidades virão. Estamos preparados para isso?”, refletiu o presidente da NSC Comunicação.

“Na Comunicação, estamos no meio do furacão, mas não estamos sozinhos. Essa transformação exponencial que vemos a cada dia colocou em xeque o setor imobiliário, de transportes, automobilístico, os bancos e até o esporte”, enumerou. “Temos uma nova jornada pela frente e ela não é linear”, acrescentou.

A Expomais ainda contou com outras atividades paralelas na tarde desta quarta-feira, com a realização de palestras, painéis, labs e apresentação de cases. A programação será encerrada à noite, com duas palestras âncoras, intercaladas por um painel.

(Assessoria de Comunicação – Expomais 2019)

Palestrantes explicam na Expomais como vencer a “dor”

A quarta edição da Expomais teve sequência na noite desta quarta-feira (25), com as palestras de Daniel Franco, diretor de Inovação da Duratex, e Hugo Rodrigues, CEO da Printi. Na abordagem dos dois, um tema em comum: como a tecnologia pode ajudar a vencer a “dor”, no caso, as dificuldades que os clientes enfrentam, e como as empresas podem levá-los a vencer esses obstáculos com práticas inovadoras.

Ao abordar a experiência da Duratex na aproximação com as startups, com programas como o Garagem Duratex, Franco lembrou que a realidade de cada empresa é diferente, ressaltando que é preciso analisar para onde o esforço deve ser canalizado. Mas nem sempre há tempo para isso.

Nesse cenário, aparecem as startups, que com o uso da tecnologia podem, por exemplo, criar soluções para o maior problema do setor de construção: os transtornos trazidos por uma obra. “E aqui na região de Criciúma, encontramos empresas fantásticas, como a Ceusa, em Urussanga, e a Portinari (marcas e plantas adquiridas pela Duratex), com inovações incríveis, muitas delas através de startups”, apontou.

Novo modelo de negócio

Já a Printi tem por si só um novo modelo de negócio, que cresce apoiando os empreendedores, muitos deles à frente de micro e pequenas empresas. A ideia construída com uma boa dose tecnológica surgiu a partir de um diagnóstico do setor gráfico no Brasil, uma indústria considerada ultrapassada.

“Um setor pulverizado, com histórico de mau atendimento e uma lacuna gigante entre as pequenas e as grandes gráficas. E que não conseguia atender a demanda das pequenas tiragens ou atendia, mas com um preço muito alto”, definiu Rodrigues.

Assim, nasceu a gráfica on-line, com tecnologia própria aplicada, oferecendo do e-commerce à produção, com um custo unitário menor e preços competitivos para as pequenas tiragens. Essas características levaram a empresa à marca de 2 mil pedidos por dia.

“Aumentamos o portfólio e fomos pioneiros no Web2Pack (pedidos de embalagens). Assim, conseguimos ajudar os empreendedores a se profissionalizar, através da personalização”, contou Rodrigues. A extensa programação da Expomais continua nesta quinta-feira (26), com a realização de palestras, painéis, labs e apresentação de cases.

(Assessoria de Comunicação – Expomais 2019)

Na abertura da Expomais, destaque ao futuro do trabalho e ao e-commerce

A quarta edição da Expomais foi aberta oficialmente na tarde desta quarta-feira, destacando o futuro do trabalho e o e-commerce, em palestras ministradas pelo pesquisador Alexandre Pellaes e pelo empresário Rogério Salume, respectivamente. Também foram realizadas as primeiras atividades paralelas, em forma de painéis. A programação do primeiro dia terá sequência esta noite, com as palestras de Daniel Franco, diretor de Inovação Duratex, e Hugo Rodrigues, CEO da Printi.

Primeiro a falar, Pellaes abordou as transformações nas relações de trabalho e nos modelos de gestão, e como isso se reflete não só na carreira profissional, mas na vida das pessoas. E foi essa consciência que o levou a mudar radicalmente a própria trajetória: do sonhado emprego como “controller” para a pesquisa e especialização em modelos flexíveis de gestão, significado do trabalho e o papel da produção individual.

Foram nada menos que 14 trocas de emprego, de vendedor de cursos de inglês na rua a CEO de empresas nacionais, multinacionais, públicas, privadas, gigantes e startups. “O trabalho é uma grande impressora 3D, onde imprimimos quem somos para o mundo ver. E pode nos dar orgulho ou ojeriza. Qual o impacto social e psicológico que estamos gerando nos outros e em nós mesmos com o nosso trabalho?”, questionou.

O pesquisador apresentou o trabalho como um meio de desenvolvimento pessoal. “No futuro, não será essa forma ‘encaixotada’. Vamos trabalhar com mais qualidade e não com a preocupação de quantidade. Estamos viciados num modelo que fazia sentido em outro momento”, argumentou.

Foco nas pessoas

Essas mudanças, conforme Pellaes, levam também a um novo modelo de gestão, focado nas pessoas, com formas diferentes de liderança, onde há papéis em vez de cargos. “Qualquer negócio de sucesso começa nas pessoas. Para a Wine, o nosso grupo de colaboradores está em primeiro lugar, porque se não estiverem motivados, felizes, não vão tratar bem os clientes”, concorda o empresário Rogério Salume, fundador do Wine.com.br, palestrante que apresentou o case da empresa logo a seguir.

Segundo ele, a ideia de vender vinhos on-line, que nasceu com a Estação do Vinho em 2004, foi estruturada a partir desse pilar. O primeiro objetivo da empresa também tinha um viés voltado às pessoas: democratizar o consumo de vinhos no Brasil, oferecendo momentos de prazer ao consumidor. Aliados a isso, oferecer várias opções de produtos, que podem ser comprados pela internet e recebidos em casa. Seguindo essa fórmula, a Wine alcançou o top 3 mundial na venda de vinhos.

Depoimentos sobre a Expomais:

Moacir Dagostin, presidente da Acic: “Estamos felizes por estarmos responsáveis em trazer esse grande evento, mostrando formas de inovar, novas tecnologias, como se comportar diante dos empregos que estão sendo criados”.

Lucas Dominguini, diretor geral do IFSC Campus Criciúma: “É muito bom reunir a cidade para discutir perspectivas futuras. Essa é uma missão de todos nós e por isso existe a Expomais. A sinergia, junção de forças, nos leva a encontrar processos de melhoria.

Luciano Pinheiro, diretor técnico do Sebrae /SC: “Estamos muito felizes em participar da cocriação da Expomais, que envolve a tríplice hélice: poder público, instituições de ensino e empresas”.

Ricardo Dias, secretário de Comunicação do Estado: “O Governo do Estado tem buscado exemplos positivos na iniciativa privada, como a digitalização dos processos”.

Clésio Salvaro, prefeito de Criciúma: “Junto com o Marketing, a Administração, a Inovação e a Sinergia, a Expomais já tem outro ‘s’, de sucesso. O evento já faz parte do nosso calendário. A matriz econômica muda muito rápido e é preciso acompanhar essas mudanças. Daqui dez anos, a matriz será mudada por esses meninos e meninas que hoje estão nos bancos escolares”.

(Assessoria de Comunicação – Expomais 2019)